Quinta do Crasto, um dos Melhores Vinhedos do mundo - Qualimpor
Sem categoria 29/07/20

Quinta do Crasto, um dos Melhores Vinhedos do mundo

Todos os anos a World’s Best Vineyards revela o TOP 50 dos melhores vinhedos do mundo. São os melhores lugares para prova de vinhos, aprender sobre vinificação e cultivo de uvas. E além destes atrativos, muitos ainda oferecem grandes paisagens, restaurantes e hospedagens.

Em 2020 a lista possui grande diversidade, contemplando 5 continentes e 18 países, sendo 17 nomes novos. Uns já conhecidos, outros se despontam como inspiração para explorar uma nova região e local.

Pelo segundo ano consecutivo, a Quinta do Crasto está incluída no TOP 50. A histórica propriedade do Douro ocupa a 8º posição no ranking, sendo a melhor classificação de uma vinícola portuguesa, entre os melhores vinhedos do mundo.

Dois nomes portugueses figuram na lista da segunda edição do World’s Best Vineyards, além da Quinta do Crasto, a Quinta do Noval, está em 49° na lista. Todos os vencedores foram revelados em uma cerimônia virtual, no dia 13  de julho. A lista completa você pode conferir aqui.

Esta distinção é resultado de uma votação a adegas e vinhas de 18 países, realizada com base na experiência de cerca de 500 dos principais entusiastas do vinho, sommeliers e correspondentes de viagens de luxo de todo o mundo.

Dentre os quesitos e critérios para escolha, estão a arquitetura, as adegas, a paisagem, a variedade da oferta disponível, a gastronomia, o serviço, as boas práticas ambientais e, claro, a qualidade dos vinhos. No caso da Quinta do Crasto, os elogios foram unânimes à riqueza do património histórico e cultural da propriedade, vinhas e adegas, à excelência da gastronomia local e, incontornável, à “piscina infinita”, com assinatura do Arquiteto Souto Moura, “perfeita para derradeira publicação no Instagram, com o majestoso vale do Douro como cenário”.

A Quinta do Crasto, fica situada na margem direita do Rio Douro, entre a Régua e o Pinhão, a Quinta do Crasto, é uma propriedade com cerca de 130 hectares, dos quais 75 são ocupados por vinhas. Com localização privilegiada na Região Demarcada do Douro, é propriedade da família de Leonor e Jorge Roquette há mais de um século.