Vinho de Talha: técnica ancestral na produção de vinhos - Qualimpor
Sem categoria 09/11/20

Vinho de Talha: técnica ancestral na produção de vinhos

Registro arqueológicos mais antigos datam de 6.000 a.C quanto a produção de vinhos em recipientes de barro, na região de Geórgia. O vinho de talha foi trazido para a Península Ibérica pelos Fenícios, a partir do século IX a.C.

Já na região da Lusitânia, os Romanos estabeleceram a produção de vinhos de talha na região há mais de 2 mil anos. E rapidamente a produção de vinho se estabeleceu no território português até os dias de hoje, no Alentejo.

O projeto de vinho de talha no Esporão iniciou em 2014, com o objetivo de compreender as origens do vinho no Alentejo, preservar a tradição e dar futuro a esta técnica de vinificação, trazendo os vinhos de talha aos consumidores de hoje.

Produzido com a casta Moreto, típica do Alentejo, de vinhas com idade média de 80 anos, é o primeiro vinho de Talha trazido aos consumidores brasileiros.

E como é produzido?

Após desengaçadas e esmagadas, as uvas são colocadas em ânforas de barro (de 550 e 960 litros) para início da fermentação, que acontece de maneira espontânea, conduzida por leveduras indígenas. Seu processo de produção resulta em um vinho mais oxigenado e com menor extração, mais leve, suave e frutado. Muito gastronômico, harmoniza com cozidos, bacalhau acebolado com pimentões, queijos e embutidos no geral.

O Vinho de talha Moreto está disponível na safra 2018, apresenta cor rubi brilhante, aroma de fruta madura fresca, onde predominam os frutos vermelhos, notas de bosque e especiarias. Ao paladar sente-se firmeza, um vinho elegante e intenso.

Quer saber mais sobre este vinho? Então clica aqui.